BIBLIOTECA
Slider
  • Biblioteca

    A biblioteca da Faculdade Canção Nova disponibiliza a informação aos seus usuários apoiando as atividades de ensino, pesquisa e extensão desenvolvidas na instituição. Está vinculada administrativamente a Diretoria Administrativa e Financeira da Instituição. Possui uma Comissão de Biblioteca, composta por professores representantes dos cursos e um representante discente, tem como objetivo orientar ao Bibliotecário nas suas decisões quanto a seleção de material bibliográfico, distribuição do orçamento de aquisição, etc.

    Está instalada em 200 m², com espaços para leitura, estudo individual, estudo em grupo, acesso à Internet. Nesta área também estão o acervo e o escritório administrativo. Apresenta sinalização para facilitar o uso da biblioteca. Na parte física, houve uma preocupação com a acessibilidade, eliminando barreiras arquitetônicas, como escadas, portas e circulações estreitas. O balcão de atendimento tem alturas variadas para atender pessoas em cadeiras de rodas.

    Funciona de segunda-feira a sexta-feira, das 8:00 às 12:00 e 13:00 às 21:30. O quadro funcional conta com duas bibliotecárias e uma auxiliar de biblioteca para as atividades técnicas e administrativas.

    Estabelece três categorias de usuários:

    • Regulares: docentes, alunos matriculados nos cursos oferecidos pela instituição e pessoas atuantes na Mantenedora;
    • Especiais: profissionais que prestam serviços científicos à Faculdade, sem vínculo empregatício, ex: professor-visitante;
    • Conveniados: Bibliotecas / Instituições similares, que mantenham com a Faculdade convênio disciplinado para intercâmbio dos serviços próprios da Biblioteca.

    O acervo da Biblioteca é de livre acesso, contendo: livros, teses, monografias, folhetos, periódicos (impressos e eletrônicos), hemeroteca, fitas de vídeo, CDs, etc. Para complementar o acervo existe a possibilidade de acesso aos vários repositórios (Open Access) na Internet como “Repositorum” da Universidade do Minho e “OASIS.BR” – Portal de Repositórios e periódicos de Acesso Livre e diversas bases de dados como: “Scielo” – Scientific Eletronic LIbrary Online, “Latindex” – Sistema Regional de Información em Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, Espana y Portugal, “LAPTOC” – Latin American Periodicals Tables of Contents, “CLASE” – Citas Latinoamericanas em Ciências Sociales y Humanidades, “REDALYC” – Red de Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, Espana y Portugal – Universidad Autônoma Del Estado de México, “Bases de Dados Brasileiras na Internet” – PROSSIGA e várias Bibliotecas Virtuais na Internet como “Biblioteca Virtual em Ciências Sociais” – PPGSA/IFCS/UFRJ, Biblioteca Virtual de Literatura” – PACC – UFRJ, “Biblioteca Virtual de Estudos Culturais” – PACC- UFRJ. Existe uma política para o desenvolvimento do acervo, com definição de metas e regras, desenvolvidas juntamente com a Comissão de Biblioteca. Os documentos são classificados de acordo com a Tabela de Classificação de Assuntos CDU (Classificação Decimal Universal),utiliza a Tabela CUTTER para notação de autor e na catalogação obedece as normas do AACR2 e Marc21.

    O sistema de gerenciamento da biblioteca está automatizado, inclusive com a utilização do protocolo Z-39.50 para estabelecer comunicação entre bibliotecas. Permite o controle da aquisição, registro, catalogação, empréstimo dos materiais bibliográficos, possibilitando inclusive renovações e reservas pela Internet. Existe a possibilidade do usuário fazer devolução em caixa coletora. Para segurança do acervo foram tomadas medidas de proteção contra furto, com uso de sistema anti-furto eletromagnético na circulação das obras.

    Principais serviços e produtos oferecidos: empréstimo domiciliar, empréstimo entre bibliotecas, comutação bibliográfica (COMUT), levantamento bibliográfico sob demanda, acesso à Internet, treinamento de usuário para utilização dos recursos da Biblioteca e recursos da Internet, orientação quanto à metodologia de trabalhos científicos, orientação na confecção de referências bibliográficas segundo Normas da ABNT e ISO, normalização e padronização de documentos, página web, catálogo on-line, mural eletrônico, normas para elaboração de textos acadêmicos, portal de referências (com indicações de links de várias fontes de informação como revistas eletrônicas, bases de dados, catálogos de outras universidades, bibliotecas digitais), etc.

  • Regulamento Biblioteca
  • Atualização do Acervo

    POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DO ACERVO PARA BIBLIOTECA DA FACULDADE CANÇÃO NOVA

    I – DA FINALIDADE

    Art. 1º – Este Instrumento de Política de Desenvolvimento do Acervo para

    Biblioteca da Faculdade Canção Nova, tem por finalidade definir procedimentos

    para atualização, manutenção, conservação, preservação e descarte do Acervo

    da Bibliográfico.

    II – DOS OBJETIVOS

    Art. 2º – O objetivo deste Instrumento de Política de Desenvolvimento do

    Acervo é de ser um parâmetro para planejamento e acompanhamento de forma

    padronizada e segura, do desenvolvimento do acervo, orientando a toma da de

    decisões quanto aos materiais que devem ser adquiridos, mantidos ou

    descartados pela Biblioteca.

    IV – DA.AQUISIÇÃO DE MATERIAIS BIBLIOGRAFICOS

    Art. 3º – O Processo de agregação de material bibliográfico por meio de

    compra, doação ou permuta, com o objetivo de manutenção e atualização do

    acervo, para apoiar o ensino, a pesquisa e a extensão devem estabelecer

    prioridades de acordo com a área de conhecimento.

    V – DA COMPRA

    Art. 4º – A verba destinada à aquisição de material bibliográfico para suprir as

    necessidades dos cursos na FCN, prevista no orçamente, será distribuída de

    conformidade com as prioridades aprovadas pela Diretoria da FCN.

    § 1º – O processo de compra, deverá envolver a coordenação do respectivo

    curso, a Diretoria Acadêmica a(o) Bibliotecária(o), a Diretoria Administrativa e

    Financeira e o Setor de Compras.

    § 2º – A(o) bibliotecária(o) deverá elaborar e encaminhar as listagens das obras

    a serem adquiridas e acompanhar todas as etapas do processo.

    VI – DA DOAÇÃO

    Art. 5º – Doação para efeito deste documento, consideram as seguintes

    origens para efeito de doações:

    I – Publicações não comercializadas;

    II – Coleções particulares e/ou especiais;

    III – Publicações doadas por pessoas físicas e/ou jurídicas.

    § 1º – As aquisições por doação/permuta de obras de interesse da biblioteca

    deverão ser incentivadas, principalmente no que se refere às publicações não

    comercializadas e as governamentais.

    § 2º – As doações de pessoas físicas e de coleções particulares e ou especiais

    poderão ser recebidas pela Biblioteca, caso haja interesse recomenda – se que

    o doador assine um termo de Doação.

    § 3º – A Biblioteca pode recusar doações com restrições específicas às quais

    não estão aptas a atender como exigência de local especial ou uso restrito.

    § 4º – Doações consideradas qualitativa e/ou quantitativamente importantes

    para FCN e que possuírem exigências específicas para sua incorporação ao

    acervo deverão, obrigatoriamente, ser submetidas à Diretoria para emissão de

    parecer.

    § 5º – A incorporação das obras doadas somente será efetivada após pré-

    seleção pela(o) bibliotecário e ciência da Diretoria.

    § 6º – Para fins de patrimônio, toda obra, mesmo recebida por doação, deverá

    ter um valor atribuído em moeda corrente no país.

    § 7º – As obras doadas que não forem de interesse da Biblioteca poderão ser

    descartadas, doadas ou permutadas com outras Instituições.

    VII – DA PERMUTA

    Art. 6º – A permuta consiste na troca de publicações editadas por instituições ,

    que atendam ao interesse da biblioteca.

    Parágrafo Único – A permuta deverá adotar os mesmos critérios para seleção

    de materiais bibliográficos e especiais.

    VIII – DA SELEÇÃO DE MATERIAS

    Art. 7º – A Seleção de Bibliografias, fundamentado em controle bibliográfico de

    acordo com as necessidades da comunidade universitária determina as

    melhores opções, para aquisições.

    § 1º – O processo de seleção deverá ser efetuado pela Bibliotecária com o

    auxilio da Diretoria Acadêmica e Coordenação de Curso, se necessário.

    § 2º – São critérios de seleção:

    I – adequação do material aos objetivos da FCN;

    II – adequação aos ementários dos cursos;

    III – qualidade técnica do conteúdo;

    IV – atualidade da obra;

    V – demanda comprovada;

    VI – acessibilidade do idioma;

    VII – relevância histórica;

    VIII – áreas de abrangência do título;

    IX – qualidade visual e auditiva de materiais especiais;

    X – condições físicas da obra;

    XI – adequação ao número de usuários.

    IX – DA SELEÇÃO QUALITATIVA

    Art. 8º – A Seleção Qualitativa tem o objetivo de garantir a qualidade do

    processo de seleção do acervo bibliográfico.

    Parágrafo Único – Recomenda –se considerar os seguintes aspectos:

    I – solicitar periodicamente aos Colegiados de Curso as

    bibliografias básicas atualizadas das disciplinas pelos docentes;

    II – avaliar as sugestões apresentadas pelo corpo discente;

    III – considerar as necessidades específicas de cursos em fase de implantação

    ou de atualização curricular;

    IV – manter atualizadas as obras de referência impressas ou eletrônicas;

    V – considerar sugestões de assinatura de periódicos eletrônicos;

    VI – títulos com conteúdos de caráter informativo e jornais deverão também ser

    avaliados, levando – se em conta o seu uso;

    VII – definir, de acordo com critérios estabelecidos, juntamente com o

    Colegiado de cada curso, o número de exemplares de monografias e trabalhos

    de conclusão de curso que deverá ser mantido na Biblioteca;

    VIII – definir para as coleções especiais e de obras raras critérios próprios de

    seleção.

    X – DA SELEÇÃO QUANTITATIVA

    Art. 9 – Através da Seleção Quantitativa deve – se seguir o parâmetro

    estabelecido pelo MEC, que prevê bibliografia básica em quantidade suficiente

    para atender o número de alunos matriculados.

    XI – CONSERVAÇÃO E PRESERVAÇÃO DO ACERVO

    Art. 10 – A conservação, por ser um conjunto de técnicas e procedimentos

    destinados a assegurar a proteção das obras contra fatores que possam afetar

    a sua integridade, compete a Biblioteca estabelecer procedimentos, para os

    usuários, promovendo campanhas para o uso consciente do acervo.

    § 1º Orientar adequadamente os colaboradores que trabalham com o acervo

    sobre o seu manuseio, armazenamento, segurança, transporte e limpeza;

    § 2º Manter o acervo em boas condições de uso e conscientizar os usuários

    através de campanhas sobre a forma adequada de utilização e transporte das

    obras;

    § 3º Manter vigilância e providencias para permanecer em boas condições as

    instalações elétricas, hidráulicas, telhados, calhas e extintores de incêndio da

    Biblioteca e ainda entelamento das janelas visando à proteção do acervo .

    XII – AVALIAÇÃO DO ACERVO

    Art. 11 – A Avaliação do Acervo é o processo usado para determinar a

    adequação e o valor do acervo em função dos objetivos da Biblioteca e da

    Instituição, possibilitando traçar diretrizes quanto à aquisição, à acessibilidade

    e ao descarte.

    Art. 12 – A avaliação quantitativa (tamanho e crescimento) e qualitativa (análise

    do uso real) dos materiais bibliográficos é condição essencial para o

    planejamento do desenvolvimento do acervo, pois só através delas é possível

    conhecer com exatidão a coleção existente e a demanda de sua utilização.

    Art. 13 – A avaliação do acervo deverá ser realizada sempre que se julgar

    necessário ou com periodicidade pré-estabelecida e será de responsabilidade

    do corpo técnico da Biblioteca, devendo seguir os seguintes critérios:

    I – distribuição percentual do acervo por área;

    II – quantidade de exemplares por aluno matriculado;

    III – estatística de uso dos materiais bibliográficos;

    IV – análise das bibliografias básicas e recomendadas.

    Art. 14 – A avaliação visa formar e manter um acervo atualizado, completo e

    adequado às necessidades dos usuários, evitando lacunas, duplicidades,

    obsolescências, etc.

    XIII – DO DESCARTE

    Art. 15 – O Descarte deve ser processo contínuo e sistemático, visando manter

    a qualidade do acervo, a economia de espaço e de recursos financeiros,

    procedendo à retirada de material bibliográfico desnecessário.

    Parágrafo Único – Os colaboradores da Biblioteca deve periodicamente

    organizar lista do material a ser descartado para ser apresentada à Diretoria,

    para fins de doação ou eliminação devendo seguir os seguintes critérios:

    I – inadequação: obras que por modificações ou alterações dos planos de

    ensino e/ou pesquisa não apresentam mais interesse para a Instituição. Inclui

    também obras incorporadas ao acervo sem uma seleção prévia;

    II – desatualização: obras cujo conteúdo já foi superado ou atualizado por novas

    edições. Recomenda-se manter 1 (um) exemplar na coleção, como valor

    histórico;

    III – desuso: obras que não são consultadas a vários anos.

  • Recursos

    Quantidade Item Função Uso
    3 Computador Administrativo Interno
    5 Computador Consulta à Internet e Acervo Público
    1 Impressora Movimentação do Acervo Interno
    1 Antena anti-furto Controle de saída de materiais Interno/Público
    1 Ativado/Desativador de livros Controle de saída de materiais Interno
    3 Ar condicionado Público

  • Books Scielo
  • Periódicos

    PERIÓDICOS DE ADMINISTRAÇÃO

    Revista de Administração Mackenzie
    RA-USP
    RAC
    RAE – Revista de Administração de Empresas
    RAP – Revista de Administração Pública
    EA – Economia Aplicada
    Revista de Economia contemporânea
    Revista de Economia Política
    Administração em Diálogo
    BAR – Brazilian Administration Review
    Caderno de estudos
    Economia e sociedade
    Estudos econômicos
    Organizações & Sociedade
    Revista Brasileira de Política Internacional
    Contexto internacional
    Nova Economia
    Revista Brasileira de Pesquisas de Marketing, Opinião e Mídia
    Revista Brasileira de Administração Científica
    REGE – Revista de Gestão
    Revista Brasileira de Marketing
    Spell
    Revista Logística & Supply Chain

    PERIÓDICOS DE FILOSOFIA

    Revista Ágora Filosófica
    Akrópolis
    Cognito: Revista de Filosofia
    Cognitio-Estudos: Revista Eletrônica de Filosofia
    Conjectura: Filosofia e Educação
    Educação e Filosofia
    Filosofia Aurora
    Hypnos: Revista do centro de estudos da antiguidade
    Horizonte
    Revista Kriterion
    Opinião Filosófica
    Pensando: Revista de Filosofia
    Princípios: Revista de Filosofia
    Problemata: Revista Internacional de Filosofia
    Reveleteo: Revista de Teologia
    Rever: Revista de Estudos da Religião
    Revista de Cultura Teológica
    Revista Filosofia Capital
    Saberes: Revista Interdisciplinar de Filosofia e Educação
    Synesis

    PERIÓDICOS DE JORNALISMO

    Alceu
    BOCC
    Contemporanea
    Cambiassu
    Ciberlegenda
    Culturas midiáticas
    Comunicação & Informação
    Comunicação, mídia e consumo
    Comunicação & Inovação
    Contemporânea
    Contracampo
    Discursos Fotográficos
    Doc On-Line
    FAMECOS
    Fronteiras
    Galáxia
    Intercom
    Intexto
    Fronteiras
    Matrizes
    Logos
    Sessões do Imaginário
    Verso e reverso
    SET – Sociedade Brasileira de Engenharia e Televisão

    PERIÓDICOS DE  RÁDIO E TV

    Alceu
    BOCC
    Contemporanea
    Cambiassu
    Ciberlegenda
    Culturas midiáticas
    Comunicação & Informação
    Comunicação, mídia e consumo
    Comunicação & Inovação
    Contemporânea
    Contracampo
    Discursos Fotográficos
    Doc On-Line
    FAMECOS
    Fronteiras
    Galáxia
    Intercom
    Intexto
    Fronteiras
    Matrizes
    Logos
    Sessões do Imaginário
    Verso e reverso
    SET – Sociedade Brasileira de Engenharia e Televisão

    PERIÓDICOS DE TEOLOGIA

    Estudos teológicos
    Reveleteo
    Horizonte
    Annalesfaje
    Perspectiva Teológica
    Síntese
    Revista de Cultura Teológica
    Unitas
    Reflexus
    Revista de Teologia e Ciências da Religião da UNICAP
    Caminhando
    Revista Discernindo

  • Acesso Biblioteca